Altamira em mobilização destaca tratamento precoce contra a contaminação da Hanseníase

0

Janeiro é o mês de sensibilização da prevenção da Hanseníase, e a prefeitura de Altamira, por meio da Secretaria de Saúde (Sesma) empenhada em alertar a população, promoveu uma capacitação sobre o combate à doença, aos servidores da saúde que trabalham com o segmento.

“O diagnóstico da Hanseníase é rápido e fácil. Ocorre através de um exame clínico, que é realizado em todas as Unidades de saúde, e há também o exame laboratorial, mas a avaliação clínica do paciente é fundamental no diagnóstico,” destaca a enfermeira Adileida.

Com o objetivo de preparar profissionais de saúde para atuarem no controle da transmissão da hanseníase, e assim, diminuir as incapacidades causadas pela doença, bem como para incentivar o diagnóstico precoce, a prefeitura de Altamira realizou uma capacitação em detecção de novos casos de hanseníase, que aconteceu na última quarta-feira (25), no auditório da Sesma.

As capacitações começaram com os agentes da zona rural, na sequência, a vez dos agentes lotados na zona urbana, que foram divididos em quatro turmas. A agente de saúde Elenita Nery destaca que tiveram momentos de muito aprendizado. “Me sinto até mais motivada a praticar tudo que aprendi no treinamento. Excelente a iniciativa da gestão pública com essa capacitação”, disse a agente.

De acordo com a coordenação da Vigilância em Saúde, no período de 2019 a 2023, Altamira teve uma redução nos números de novos casos de Hanseníase confirmados. Mas essa redução não desperta somente o sentimento de vitória por parte dos profissionais de saúde do município, mas sim, uma preocupação, uma vez que isso pode significar que muitos que podem ter adquirido a doença, ainda não procuraram o serviço de saúde.

O gráfico abaixo revela uma redução nos novos casos de Hanseníase em Altamira.

Dessa forma, a Enfermeira Adileida faz um alerta: “Por ser silenciosa (a doença geralmente leva 5 anos), as pessoas costumam não se incomodar por uma mancha, que muitas vezes é confundida com uma simples micose. E essa situação, ocasiona a falta de procura do atendimento, dificultando a identificação de pacientes e consequentemente permitindo que a doença avance e o paciente continue transmitindo para outras pessoas.

Vale ressaltar, que a doença é contagiosa, então o quanto antes iniciar o tratamento, melhor para o paciente e para família. “A partir do momento que o paciente inicia o tratamento, a cadeia de transmissão é cortada”, afirmou a enfermeira.

Ao iniciar o tratamento, o paciente deve seguir alguns cuidados, como evitar bebida alcóolica, por exemplo, tudo sempre com o suporte de profissionais de saúde. “O tratamento e acompanhamento do paciente é tudo gratuito”, destaca Adileida.

DIA D

O Dia Mundial Contra a Hanseníase é celebrado no último domingo do mês de janeiro (dia 28, este ano) e em Altamira, a cor roxa ganha destaque para alertar a sociedade sobre essa batalha importante. A hanseníase tem tratamento gratuito disponível pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Necessitamos que a população fique atenta aos sinais e sintomas, pois quanto mais cedo identificarmos e tratar, menores são as chances de o paciente apresentar incapacidades”, informou a responsável técnica pelo programa de Hanseníase e Tuberculose no município, enfermeira Adileida Silva dos Santos.

Transmissão:

A transmissão ocorre, por meio de gotículas de saliva eliminadas na fala, tosse e espirro, por isso todas as pessoas que convivem ou conviveram com o doente devem ser examinadas.

Sintomas:

  • – Manchas com perda ou alteração de sensibilidade para calor, dor ou tato;
  • – Formigamentos, dormência em membros inferiores ou superiores;
  • – Diminuição da força muscular, dificuldade para pegar ou segurar objetos, nervos engrossados e doloridos, feridas difíceis de curar, principalmente em pés e mãos.

Tratamento: O tratamento é gratuito e está disponível em todas as unidades de saúde do município.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade