Reunião na Semed destaca avanços e desafios na Educação do Campo, Ribeirinha e Indígena do município de Altamira

0

Na tarde da última segunda-feira, 29 de janeiro, a Prefeitura de Altamira promoveu uma reunião significativa com educadores que atuam nas unidades de ensino do campo, ribeirinhas e indígenas supervisionadas pela Secretaria Municipal de Educação (SEMED). No encontro que aconteceu no auditório da Semed, houve a apresentação dos projetos desenvolvidos nas Escolas do Campo, indígenas e das Reservas Extrativistas (Resex’s), além de relatos emocionantes de diretores sobre as experiências que superam desafios educacionais.

A diretora da Escola São Francisco, Kelly Portugal, localizada na Resex Iriri, expressou sua satisfação com os avanços alcançados em 2021. “Tivemos avanços significativos, um deles, a escola poder atender educação infantil, agora a gente pode ter alunos dos 4 e 5 anos, e pra gente isso é um grande avanço. E outra questão é alimentação escolar tradicional, atualmente a secretaria de educação compra dos nossos moradores a alimentação para contribuir na merenda escolar que hoje é servida na escola. E isso pra gente é muito significativo, é uma renda que acaba ficando na comunidade”, afirma a diretora. A contratação de auxiliares também foi mencionada como um apoio essencial para o bom funcionamento da escola.

A gestora enfatizou ainda a importância do momento para apresentar os resultados dos trabalhos desenvolvidos. “Embora todas as dificuldades que nós temos, por serem escolas que ficam em locais de difícil acesso, a educação está sendo de qualidade e com equidade”, declara.

Josiane Santos, coordenadora da Divisão da Educação do Campo na SEMED, ressaltou a valorização do trabalho educacional nas áreas rurais e distantes. “Este é um momento único para a gente da Divisão do Campo, porque nunca tivemos essa oportunidade de mostrar e promover a visibilidade das ações que estão acontecendo nas escolas ribeirinhas, Resex, campo e distritos”.

Ela destacou os avanços notórios desde 2021, como a criação de polos, o aumento de escolas e investimentos na educação. “O município tem uma extensão geográfica muito grande e pra chegar nas escolas dos distritos que ficam distantes até 1 mil Km, é um verdadeiro desafio. São mais de 60 escolas e mais de 1.500 servidores nessas unidades de ensino, e isso são desafios que estamos vencendo”, declara.

José Roberto Sousa, que atua na EMEF Princesa do Xingu, compartilhou a visão da gestão sobre a educação no campo e elogiou o mérito dos educadores que trabalham com alunos ávidos por aprender. “Na Princesa do Xingu, nós tivemos quatro alunas que passaram com a maior nota do Enem da região, e são alunas que estão desde a educação infantil sem fazer (reforço), e esse avanço está na merenda de qualidade, no professor, no transporte todos os dias na escola, e isso sim é investimento na educação nos dando oportunidade, nos qualificando pra que nós possamos trazer esse mérito para o município” ressalta o educador.

Sheila Curuaia, coordenadora da Divisão de Educação Escolar Indígena na Semed, ressaltou a importância do momento para mostrar o atendimento aos oito povos da região do Médio Xingu, em nove polos educacionais indígenas. “Cada vez mais, a gente tem conseguido conquistar mais espaços, o atendimento dentro das aldeias, antigamente nós tínhamos apenas a educação do 1º ao 5º ano, e de uns tempos pra cá a gente tem conseguido levar pra dentro das comunidades indígenas”.

O encontro evidenciou os avanços significativos na Educação do Campo, Ribeirinha e Indígena em Altamira, ao mesmo tempo em que destacou os desafios superados com esforço conjunto e dedicação dos profissionais envolvidos. Sendo uma oportunidade única para compartilhar experiências, promover a valorização do trabalho educacional e reforçar o compromisso com a oferta de uma educação de qualidade em contextos diversos e desafiadores pela gestão municipal.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade