Vacina contra a paralisia infantil já está disponível em todas as UBS de Altamira

0

A Prefeitura de Altamira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde de Altamira (Sesma), iniciou na segunda-feira, 27 de maio, a campanha de vacinação contra a Poliomielite, também conhecida como paralisia infantil. A vacina é direcionada para crianças menores de 5 anos e está disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde da cidade.

Aquelas crianças de um ano a menor de cinco anos, podem estar procurando a unidade de saúde, traga a carteirinha, não demora, é só duas gotinhas, a mãezinha pode estar trazendo essas crianças”, orienta a vacinadora Elzely Torres.

Neste ano, a campanha se tornou ainda mais importante para o enfrentamento à pólio, já que o Brasil está em fase de transição para substituir as duas doses da vacina oral poliomielite (VOP) para apenas um reforço com a vacina inativada poliomielite (VIP), no formato injetável. Com a mudança, o esquema vacinal e a dose de reforço contra a doença, a partir do segundo semestre deste ano, serão feitos exclusivamente com a VIP.

A Sesma faz um chamamento público para que os pais de crianças de 0 a 5 anos de idade se atentem à carteira de vacinação de suas crianças e as levem a unidade de saúde mais próxima. “A campanha começou dia 27, vai até o dia 14 de junho, e durante todo esse período, todas as unidades de saúde de Altamira estarão abertas. Procure uma unidade mais próxima da sua casa e esteja indo lá, das 08h ao meio-dia, e das 14h às 16h40. Você pode estar procurando uma unidade de saúde que você vai estar sendo atendido, com certeza”, relata.

A doença

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a poliomielite afeta principalmente crianças com menos de 5 anos de idade, sendo que uma em cada 200 infecções leva à paralisia irreversível, geralmente das pernas.

Os principais sintomas da doença são febres, mal-estar, dor de cabeça, dores na garganta e no corpo, vômitos, diarreia, constipação, espasmos, rigidez na nuca e meningite.

Casos

Os casos da doença diminuíram mais de 99% ao longo dos últimos anos, passando de 350 mil casos estimados em 1988 para seis casos registrados em 2021. O Brasil não registra casos de pólio desde 1989. Em 1994, o país recebeu a certificação de área livre de circulação do poliovírus selvagem. No ano passado, entretanto, o Brasil foi classificado pela Comissão Regional para a Certificação da Erradicação da Poliomielite na Região das Américas como território de alto risco para reintrodução do poliovírus.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade