Prefeitura de Altamira recebe representante de instituição alemã

0

Estão sendo formalizadas parcerias para desenvolver projetos de Bioeconomia em Altamira

O uso da terra e sua relação com as mudanças climáticas, são temas centrais no cenário econômico global atual. Conforme o último Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (DETER), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Altamira ficou em primeiro lugar entre os municípios com maior área de desmatamento com 620,13 km² .

Porém, é preciso contextualizar. Basta lembrar que com nossos quase 160 mil quilômetros quadrados, a área afetada é relativamente muito menor em relação a qualquer outro município do Brasil. A verdade é que Altamira é, comprovadamente, um dos últimos redutos de proteção de florestas tropicais do mundo, em que pesem as informações sobre desmatamento mais recentes, cuja prática, aliás, deve ser fiscalizada pelas autoridades responsáveis do Governo Federal, a quem cabe essa ação.

Diante desse quadro, foi realizada uma reunião, na manhã do sábado, 12/03, no gabinete da prefeitura, coordenada pelo prefeito Claudomiro Gomes, da qual participaram representantes das secretarias municipais de Meio Ambiente e Agricultura, professores da Universidade Federal do Pará (UFPA) e o Representante da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) Gmbh, da Alemanha, Dr. Benno Pokorny.

Durante o produtivo encontro, foram apresentadas propostas para construir mecanismos de apoio a projetos locais de Bioeconomia, como forma de garantir trabalho, renda e emprego, garantindo o uso racional e sustentável dos recursos florestais.

A prefeitura de Altamira reafirma, com essas iniciativas, o compromisso assumido no programa de governo da atual gestão, de fomentar as iniciativas locais, em apoio às ações regionais, nacionais e internacionais que buscam reduzir as emissões globais de gases do efeito estufa, via alternativas de produção sustentável.

A gestão municipal vai fornecer estruturas, em busca do sucesso na redução das emissões de gases, do desmatamento e da degradação florestal, para atender a demanda climática global, e, assim, contribuir de forma efetiva para garantir a continuidade da vida saudável no planeta.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade