Projeto Esperança: Prefeitura de Altamira lança iniciativa socioeducativa para crianças e adolescentes

0

A prefeitura de Altamira se prepara para um importante momento que beneficiará crianças e adolescentes do município. Trata-se do relançamento do Projeto Esperança, iniciativa que disponibilizará atividades esportivas, musicais, teatrais, artísticas e profissionalizantes, além de reforço escolar para crianças com idades de 7 a 15 anos. O local onde irá funcionar já está preparado para receber os alunos.

O projeto, repaginado, será relançado na próxima quinta-feira (10) e é voltado para crianças e adolescentes que estejam em situação de extrema pobreza e alto grau de vulnerabilidade social. Com um nome que significa o sentimento de realizar aquilo que se deseja, o projeto foi criado em 1997, no primeiro mandato do prefeito Claudomiro Gomes, mas foi descontinuado em gestões posteriores.

De acordo com a secretária da SEMAPS, Maria das Neves, para participar do projeto é necessário que os responsáveis das crianças comprovem moradia na cidade e que não sejam beneficiários de outros projetos ou programas mantidos pelo município.

“Este projeto é extremamente relevante para o futuro das crianças e hoje a gestão atua para que, ao atingir a idade limite (15 anos), esse jovem já seja encaminhado para outros projetos, como o Manus, podendo assim conquistar seu primeiro emprego e tendo oportunidade de um futuro melhor”, explica a secretária.

As secretarias municipais de Assistência e Promoção Social (SEMAPS) e educação (SEMED), além do apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), são responsáveis por preparar o Programa Educativo que será desenvolvido no horário extraclasse do Projeto Esperança, e as secretarias municipais de cultura (SECULT) e de Esporte e Lazer (SEMEL) irão auxiliar no desenvolvimento das atividades.

Expansão do projeto

Inicialmente, o projeto irá atender 150 crianças, que já foram pré-selecionadas pela direção das escolas municipais em que estudam. Além disso, cada participante receberá um complemento familiar de R$ 150, e precisará cumprir alguns requisitos, como não ter média inferior a 7,0 na escola, participar de todas as atividades educativas, esportivas, culturais, artísticas e profissionalizantes promovidas pela SEMED, SECULT e SEMEL, e estar com a carteira de vacinação em dias.

Elizane Carreiro, assessora de artes integradas do Projeto Esperança, afirma que serão ofertadas oficinas de reforço de português e matemática, aulas de artes, além das aulas de natação, vôlei, futebol de areia e campo, e também aulas de música com violão, flauta e percussão.

Participando da organização do projeto, Elizane ressaltou que visitas foram feitas nas casas dos participantes selecionados, para conhecer a família, o local onde moram e também, firmar o termo de responsabilidade com pais e responsáveis comprometendo-se em cumprir todos os requisitos necessários para permanecer no projeto.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade