Projeto da Prefeitura de Altamira estimula geração de renda com a floresta em pé

0

O Projeto Refloresta Altamira, lançado em 31 de janeiro, visa recuperar 812 hectares de áreas degradadas com espécies florestais nativas da região. Desenvolvido pela Prefeitura de Altamira, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Secretaria Municipal de Meio Ambiente e o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do estado do Pará (Ideflor-PA), o projeto busca reverter o impacto causado por desmatamento anterior.

O Refloresta foi concebido como resposta a um desmatamento de mais de 800 hectares na região, incentivando a criação de Sistemas Agroflorestais Biodiversos (SAFs) em colaboração com o Ministério Público Estadual. O foco é a recuperação de áreas de preservação permanente, reserva legal e áreas de uso alternativo do solo, envolvendo unidades de produção familiar no município.

O projeto conta com a participação de produtores rurais, como Edmilson Santos, do Travessão da 5, km 23, que expressou otimismo em relação ao Refloresta, destacando a oportunidade de aumentar a produção e contribuir para o meio ambiente. “Vamos conseguir contribuir com o meio ambiente, participando dessa proposta de reflorestamento, além de poder contar com o apoio dos técnicos para um melhor plantio e produção”, expressa.

O Refloresta será executado por meio da aplicação dos valores relacionados ao Termo de Ajustamento de Conduta – TAC nº 001/2023, firmado entre o Ministério Público do Estado do Pará e Semma, com verbas oriundas de compensação ambiental e reparação de danos patrimoniais e extrapatrimoniais ao meio ambiente, relacionadas à Ação Civil Pública nº 0803386-28.2020.8.14.0005 e de contrapartida da Prefeitura Municipal de Altamira, bem como outros meios que se apresentarem viáveis.

O Secretário Municipal de Meio Ambiente, Ubirajara Umbuzeiro, considera o projeto uma vitória, evidenciando o compromisso da gestão com questões ambientais. Ele destaca que o primeiro lançamento do Projeto foi no Travessão da Firma, em meados do mês de janeiro de 2024, local onde foi efetuada a adesão dos produtores, cadastramento e entrega de mudas, conforme o objetivo e cronograma do Projeto.

A produtora rural Maria de Fátima Santos, da gleba Assurini, compartilha a expectativa de contribuir positivamente para o meio ambiente e aumentar a renda familiar através do Refloresta.  “Um projeto novo, mas quero crescer com esse apoio e estou feliz por fazer parte, pois vou reflorestar também”, enfatiza.

O Secretário Municipal de Agricultura, Marcônio Paiva, destaca que o Refloresta representa um avanço para tirar Altamira do cenário de município que mais desmata no estado do Pará. Ele enfatiza a importância das várias etapas do projeto, incluindo adesão, cadastramento, entrega de mudas e suporte técnico. “Não é só entregar as mudas de cacau, açaí e essências florestais, além de receberem as mudas, os produtores receberão visitas e acompanhamento técnico”, informa Marcônio.

O projeto também contempla produtores com plantações consolidadas, recebendo mudas de açaí, para trabalharem o sistema de consórcio de culturas. “É o que chamamos de enriquecimento de áreas, para que os produtores possam ter variedades dentro das suas propriedades”, explica o secretário.

O Refloresta surge como uma resposta às metas definidas no Conserto Ambiental de junho de 2023, reforçando o compromisso da prefeitura com a restauração e preservação ambiental. Produtores beneficiados estão localizados em diversas comunidades, e há a possibilidade de expansão para outras localidades que atendam aos critérios estabelecidos.

Isarel de Oliveira, gerente do Ideflor-Bio Xingu ressalta o trabalho da instituição no estado do Pará na recuperação de áreas degradadas, segurança alimentar e nutricional, além de renda, recomposição da vegetação nativa e reflorestar. “Somos parceiros da prefeitura, da Semma, da Semagri e principalmente dos nossos produtores que estão recuperando área degradada, prestando serviços ecossistêmicos para a nossa região”, aponta Israel.

“Ao todo, 400 famílias foram selecionadas, algumas já receberam parte das mudas, posteriormente receberão visitas dos técnicos que irão fornecer orientação técnica de plantio, além de monitorar o progresso da plantação, e consequentemente o restante das remessas de mudas”, destaca Ubirajara.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade